Copa do Mundo 2014: venha torcer com a Tricae!

copa

Copa 2014

A Copa do Mundo é um momento de descontração mundial em que cada indivíduo veste a camisa do seu país e, juntos, torcem em uma única voz. É hora de esquecer as diferenças, de abraçar pessoas desconhecidas, de rir, de chorar, de se emocionar. É um dos únicos eventos capazes de unir todos os cidadãos que aguardam ansiosos pelas vitórias e goleadas e em 2014 a coisa não será diferente, principalmente no caso do povo brasileiro que sediará a próxima Copa das Confraternizações.

A febre do futebol invadirá todas as casas como uma onda e trará lembranças inesquecíveis para um povo que busca a sexta vitória no maior torneio de futebol do mundo. Antes de se emocionar novamente, que tal relembrar um pouquinho das Copas que já aconteceram ao redor de todo o mundo?

Copas do Mundo: A História do Torneio

1930 - Uruguai:

A primeira Copa do Mundo da história foi sediada pelo Uruguai e contou com treze seleções. Todas as partidas ocorreram na capital Montevidéu, principalmente no Estádio Centenário, que fora construído especialmente para a competição.

Sete seleções da América do Sul, duas da América do Norte e quatro da Europa estavam presentes. Diversas seleções europeias não se inscreveram para o campeonato devido aos custos da viagem, já que o continente ainda se recuperava da 1ª Guerra Mundial. Na final, o Uruguai venceu a Argentina por 4 a 2 e se tornou a primeira seleção campeã mundial.

1934 - Itália:

A Copa da Itália inaugurou as eliminatórias, onde os países de cada continente se enfrentavam para saber quem se classificaria para a disputa do mundial. Muitos acreditam que Benito Mussolini resolveu abrigar a Copa para fazer propaganda do regime fascista.

O defensor do título, o Uruguai, decidiu não participar da competição em forma de protesto contra os europeus que haviam boicotado a edição anterior. A final entre Itália e Tchecoslováquia terminou com os donos da casa como campeões e levou mais 50 mil pessoas ao Estádio Nacional.

1938 - França:

Foi disputada em meio às tensões políticas que levariam o mundo à 2ª Guerra Mundial, no ano seguinte. A final foi entre Hungria e Itália no Stade Olympique de Colombe em Paris. Os italianos mais uma vez saíram vencedores e a competição teve como artilheiro o brasileiro Leônidas da Silva, conhecido como Diamante Negro.

1950 - Brasil:

12 anos depois da última Copa, devido à 2ª Guerra Mundial, o mundo voltava a se encantar pelo esporte mais popular da história. O destino não podia ser melhor, já que o brasileiro sempre amou o futebol. Dezesseis seleções se enfrentaram pela busca da taça Jules Rimet e foi a primeira Copa a contar com países asiáticos (Turquia e Coréia do Sul). As cidades sede foram: Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

A final foi disputada entre Brasil e Uruguai no moderníssimo e gigantesco Maracanã sob os olhos de nada menos do que 200 mil pessoas. Bom, a história da final quase todos os brasileiros conhecem, uma sofrida virada deixou o caneco nas mãos dos uruguaios e o episódio ficou conhecido como Maracanazzo.

1954 - Suíça:

A quinta edição da Copa do Mundo ocorreu em meio às comemorações de 50 anos da FIFA, em seu país sede. Dezesseis seleções participaram e o evento possui até hoje a maior média de gols por jogo, 5,38. A final foi disputada em Berna no estádio Wankdorf pela Alemanha Ocidental e pela Hungria do craque Ferenc Puskás. A partida terminou 3 a 2 para os Alemães que puderam soltar o grito de campeão pela primeira vez na sua história.

1958 - Suécia:

Novamente disputada por dezesseis seleções, porém sem a presença dos asiáticos, as grandes favoritas ao título eram as seleções que haviam disputado a final anterior, ou seja, Alemanha Ocidental e Hungria. Porém, na final, isto não se concretizou. Brasil e Suécia fizeram a disputa da taça em Estocolmo e o que se viu foi um verdadeiro show tupiniquim: 5 a 2 no placar e os suecos se renderam a uma jovem revelação que fez sua estréia apenas na final e marcou dois golaços. Seu nome? Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, o Rei do futebol. 51800 pessoas testemunharam um show de categoria e o nascimento de uma lenda. Sorte a deles, não?

1962 - Chile:

A sétima edição da Copa do Mundo contou com dezesseis seleções da América e da Europa. O campeão e favorito Brasil chegou ao torneio como a sensação e Pelé como o grande astro. O craque se machucou logo no primeiro jogo da Copa e deixou o Brasil desfalcado de sua principal arma. Porém, o gênio Garrincha assumiu o papel de protagonista e só não fez chover no Chile. Na final, o Brasil que defendia seu título nem tomou conhecimento da Tchecoslováquia e levantou o caneco pela segunda vez ao vencer o jogo por 3 a 1.

1966 - Inglaterra:

Na terra da rainha, o time da casa chegou como franco favorito. Liderados por Bobby Moore e Gordon Banks, a seleção inglesa venceu a final contra a Alemanha Ocidental em um jogo histórico, lembrado pela polêmica de um gol legítimo não marcado para os alemães. A Inglaterra venceu seu primeiro e único título ganhando o jogo por 4 a 2 no lendário estádio de Wembley.

1970 - México:

A nona edição da Copa do Mundo foi simplesmente revolucionária. O motivo? Foi a primeira vez que o torneio foi transmitido ao vivo pela TV em todo o mundo. Foi também a primeira vez que a bola foi produzida por um fornecedor oficial.

A Adidas fez tanto sucesso como patrocinadora que até hoje as bolas do torneio são produzidas por ela e, dentro de campo, o Brasil dominou. Com Pelé em ótima forma, a seleção canarinho chegou ao seu terceiro título vencendo a Itália por 4 a 1 na final no estádio Azteca. A seleção brasileira tinha tantos craques que até hoje é o time é considerado o melhor do futebol de todos os tempos, uma verdadeira máquina.

1974 - Alemanha Ocidental:

A décima edição do torneio trouxe uma grande novidade: pela primeira vez na história uma seleção africana participou da competição, o Zaire. A Austrália também marcou seu nome na história sendo a primeira seleção da Oceania a participar. Os donos da casa fizeram valer o calor de sua torcida e venceram pela segunda vez uma Copa do Mundo.

Liderados por Franz Beckenbauer, o Kaiser, os Alemães Ocidentais venceram o surpreendente Carrossel Holandês de Rinus Michels por 2 a 1. Os brasileiros não saíram tão por baixo desta Copa, já que venceram em Hanover a seleção da Argentina.

1978 - Argentina:

Em meio a uma ditadura militar, a Copa do Mundo foi cercada por polêmicas. O craque holandês Johan Cruijff se recusou a participar da competição como forma de protesto. Além disso, a Argentina disputou quase todos os jogos na capital Buenos Aires, enquanto os rivais fizeram um tremendo “tour” pelo país.

Outra grande polêmica foi a eliminação do Brasil. Na última rodada, a Argentina precisava vencer o Peru por 4 gols de diferença para conseguir se classificar e, consequentemente, eliminaria o Brasil. O Peru perdeu por “apenas” 6 a 0 em um jogo onde claramente eles tomavam os gols de propósito. Como resultado, a Argentina passou de fase e venceu o torneio derrotando a Holanda por 3 a 1 em Buenos Aires.

1982 - Espanha:

A Copa do Mundo da Espanha é muito lembrada pelo futebol ofensivo e criativo da seleção brasileira. Na primeira fase, o Brasil ganhou de todos os outros adversários e foi apontado como o favorito ao título, mas infelizmente quem ficou com o venceu o campeonato foi a Itália.

Pela primeira vez na história da Copa do Mundo a competição foi disputada por 24 seleções, sendo que muitas nunca tinham participado do campeonato. Também foi a primeira participação de Diego Maradona em uma Copa, mas ele não conseguiu levar sua seleção muito adiante do campeonato. Outra grande curiosidade é que a maior goleada que já existiu em uma Copa do Mundo também ocorreu nessa edição: Hungria 10, El Salvador 1.

O México foi o primeiro país a sediar a Copa do Mundo mais de uma vez e isso aconteceu porque a Colômbia desistiu de sediá-la por conta de problemas financeiros. Em 1970, o Brasil foi o grande campeão. Já em 1986, nesta segunda edição da Copa no México, Diego Maradona se superou e ajudou efetivamente a seleção argentina a conquistar a taça. A conquista foi em cima da Alemanha Ocidental, que se tornou vice-campeã pela segunda vez.

A Copa também foi marcada por um dos gols mais famosos do futebol em que Diego utilizou o próprio braço para marcar um gol em cima da Inglaterra, nas quartas de final. A Copa do Mundo de 1986 teve 24 equipes participantes, 52 jogos e 132 gols, com uma média de 2,5 por partida.

1990 - Itália

A décima quarta edição da Copa contou com a presença de 24 seleções, sendo 13 delas europeias, 6 americanas, 2 africanas e 2 asiáticas, sendo que era a primeira vez que a Costa Rica e a Irlanda participavam do campeonato. Essa edição entrou para a história como uma Copa de equipes defensivas, que só jogavam com a finalidade de alcançar um resultado. Do “futebol arte” os jogadores se prenderam ao “futebol força”. O país campeão foi a Alemanha Ocidental, que conquistou o seu terceiro título.

1994 - Estados Unidos

Depois de 24 anos o Brasil finalmente conseguiu conquistar o primeiro lugar na Copa do Mundo com a seleção comandada por Carlos Alberto Parreira. A vitória foi em cima da Itália na disputa de pênaltis - 3 a 2 - e o grande ídolo era Romário, que vivia uma fase excepcional. Sem dúvidas o atacante foi muito influente na busca pelo tetracampeonato.

Nigéria ficou até as oitavas de finais, Romênia até as quartas e Bulgária até as semifinais, provando que fizeram uma boa Copa do Mundo. A Argentina, por sua vez, estava indo bem até que Diego Maradona foi pego no exame antidoping e teve de abandonar o campeonato.

1998 - França

O evento foi sediado na França pela segunda vez com 32 seleções selecionadas para disputar a taça tão desejada, sendo 15 europeias, 8 americanas e 5 africanas. O que mais marcou o grande torneio foram as goleadas, como Espanha 6 x 1 Bulgária, Holanda 5 x 0 Coreia do Sul e Argentina 5 x 0 Jamaica.

A final foi entre França e Brasil com cerca de oitenta mil torcedores no estádio. Infelizmente o Brasil perdeu por 3 a 0 após um show de Zinedine Zidane e o país que sediou a copa foi o grande vencedor do título.


2002 - Coréia do Sul e Japão

Pela primeira e única vez até hoje, dois países sediaram o Mundial que, também pela primeira vez, saiu dos continentes da Europa e América. Foram construídos 20 estádios em 20 cidades diferentes, sendo 10 em cada país. Japão, Coreia do Sul e França, que venceu o mundial anterior, já estavam classificados para o campeonato.

Os povo não estavam esperando muito da seleção brasileira, mas muito se conseguiu naquele ano. Foram sete jogos para seis vitórias tendo como destaques os jogadores Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho, até que a família Scolari - nome dado por conta do técnico Luiz Felipe Scolari - conquistou a grande vitória. Ronaldo, o fenômeno, foi o grande destaque desta edição bem como Rivaldo e o goleiro Marcos.

2006 - Alemanha

A seleção italiana foi a grande campeã e conquistou o tetracampeonato da equipe, graças à união dos jogadores somada às grandes táticas de jogo. Foi a primeira vitória por pênaltis dos italianos! A garra da equipe também foi fundamental e dos 23 jogadores, 21 tiveram a oportunidade de entrar em campo, sendo que dez deles marcaram gols durante o campeonato. Durante o torneio a Itália só sofreu dois gols, sendo um de pênalti e um contra. A Alemanha ficou em terceiro lugar e Portugal foi até as semi-finais.

A seleção brasileira, por sua vez, ficou abaixo das expectativas, mesmo tendo Ronaldo como o maior artilheiro da história da competição, com o seu 15º gol. A equipe chegou até as semi-finais, mas tanto para o povo brasileiro quanto para os jogadores, foi uma decepção não termos conseguido ir mais longe.

2014 - Brasil

Vamos torcer muito para que nosso país, sede da Copa do Mundo de 2014, conquiste o hexacampeonato!

Mascotes da Copa do Mundo

1966 - Inglaterra - Willie

Foi na oitava disputa pelo mundial que os mascotes passaram a aparecer em todas as outras edições desse grandioso campeonato. Willie era um leão muito simpático que deu início aos mascotes em todas as Copas do Mundo. O animal vestia um uniforme da Inglaterra e andava igual um ser humano, ao invés de se locomover com as quatro patas.

1970 - México - Juanito Maravilla

Juanito era um garoto mexicano com um sombreiro e um uniforme da seleção, constituído por camisetas e meias verdes e um calção branco. Ele foi o primeiro “ser humano” a ser uma mascote e encantou todos os países durante a Copa do Mundo de 1970.

1974 - Alemanha Ocidental - Tip e Tap

Tip e Tap eram dois meninos vestidos de jogadores de futebol, com o uniforme da seleção da Alemanha Ocidental, que pareciam ser bem amigos e sorridentes. Um deles tinha as iniciais da Copa em alemão (WM - Weltmeisterchaft) estampadas na camisa, enquanto que o outro tinha o ano da Copa.

1978 - Argentina - Gauchito Mundialito

Gauchito Mundialito é um menino vestido com o uniforme argentino. A cor azul claro, da bandeira do país, se mostra bastante presente no desenho do mascote, podendo ser encontrada na camiseta, no chapéu e na bola. A Copa aconteceu em 78 na Argentina, o que explica a legenda do chapéu.

1982 - Espanha - Naranjito

Naranja em Espanhol, significa laranja. Por isso esse mascote é uma laranja vestida com o uniforme da seleção. Naranjito foi a primeira fruta a entrar para o time de mascotes das Copas do Mundo e fez muito sucesso por conta de sua simplicidade. O mascote também participou de vários desenhos animados na Espanha.

1986 - México - Pique

Pique era uma pimenta de cor verde vestida com o uniforme da seleção mexicana. A escolha do tempero foi por conta da alimentação do povo mexicano, que adora comidas calientes. O mascote também aparece com um grande sombreiro, acessório cultural do México.

1990 - Itália - Cião

Cião era um boneco em forma de barras e com a coloração da bandeira italiana. O mascote tinha a forma de um jogador de futebol e sua cabeça era a própria bola das partidas. Combinava a complexidade da geometria com a simples forma de um jogador, transmitindo o espírito e a paixão pelo futebol.

1994 - Estados Unidos - Striker

Striker era um cachorro que jogava futebol e também fez muito sucesso durante a Copa do Mundo. O mascote vestia roupas com as cores da bandeira dos Estados Unidos (vermelho, azul e branco) e tinha uma carinha bem simpática. Em sua camiseta era possível encontrar as iniciais dos Estados Unidos (United States of America).

1998 - França - Footix

O galo Footix foi um dos mascotes mais famosos de todos. Esse animal foi escolhido para ser o mascote da Copa do Mundo na França por ser o símbolo do país. A escolha do nome também tem um bom motivo: Footix é uma espécie de galo azul, cor do uniforme da seleção francesa.

2002 - Coréia do Sul e Japão - Os “Spheriks” - Ato, Kaz e Nik

Ato, Kaz e Nik formavam os “Spheriks”, nome dado aos mascotes da Copa de 2002. Eles são três criaturas fictícias que vieram de um planeta muito distante. Lá, praticavam um esporte muito semelhante ao futebol e, por isso, foi selecionados para serem os mascotes da Coréia do Sul e do Japão.

2006 - Alemanha - Goleo VI e Pille

Ao contrário de todos os outros mascotes, Goleo VI não é um desenho. Ele é uma fantasia de um leão de dois metros e trinta centímetros de altura que possui 18 anos e é amigo de Pille, uma boa falante. O número 06 em sua camiseta faz referência ao ano que aconteceu a esta Copa.

2010 - África do Sul - Zakumi

A bandeira sul-africana apresenta as cores verde e amarelo. Por isso, o mascoto do país sede da Copa do Mundo apresenta essas mesmas cores. A imagem selecionada é um leopardo amarelo de cabelo verde por conta da rica natureza da África e dos seus animais da savana.

2014 - Brasil - Fuleco

O mais novo mascote brasileiro recebeu o nome de Fuleco, se significa uma junção das palavras futebol com ecologia. Ele é um tatu-bola da caatinga bem descolado e simpático, apresentando as três principais cores do Brasil: amarelo na pele, verde na bermuda e azul no rosto.

As Bolas das Copas Anteriores

1930 - Uruguai - Modelo T e Tiento

As bolas utilizadas durante a primeira Copa do Mundo eram o Modelo T e a Tiento, ambas confeccionadas em couro com doze gomos. A Modelo T era produzida no Uruguai, enquanto que a Tiento vinha da Argentina. Na final da Copa, entre Uruguai e Argentina, nenhuma das seleções abria mão de utilizar sua própria bola durante o jogo. Portanto, para resolver este impasse, o árbitro decidiu que cada tempo do jogo deveria ser disputado com uma bola diferente. Ao final da partida o Uruguai se consagrou como o primeiro campeão do mundo.

1934 - Itália - Federale 102

A Federale 102 seguia o padrão de suas antecessoras: era produzida com doze gomos em couro. A final entre Itália e Tchecoslováquia foi marcada por um lance no mínimo curioso. Aos 37 minutos do segundo tempo, com a Tchecoslováquia vencendo por 1 x 0, o atacante italiano Raimundo Orsi chutou a bola que fez uma curvatura impressionante. Ela mudou sua trajetória e enganou o goleiro, empatando a partida.

Na prorrogação, a Itália virou o jogo e se tornou campeã. O estranho é que no dia seguinte, fotógrafos pediram para que Orsi repetisse o chute, sem goleiro e sem nada e o mesmo não conseguiu reproduzir o feito. É possível que o fato tenha ocorrido porque a bola utilizada no jogo tenha ficado deformada.

1938 - França - Allen

Quase idêntica às bolas utilizadas nas duas primeiras Copas, a Allen tinha como diferença uma inscrição da Copa e também era um pouco mais escura que as outras.

1950 - Brasil - Super Duplo T

Após doze anos a Copa do Mundo voltou a ser disputada. A bola utilizada foi a Duplo T produzida pela brasileira Super. Era bastante inovadora pois era composta por uma câmara inflada, válvula de enchimento e superfície de couro sintético branco. Mas ela não deu muita sorte para nossa seleção, que terminou o mundial como vice-campeã.

1954 - Suíça - Swiss WC Match Ball

A primeira bola com dezoito gomos foi a primeira a seguir a padronização da FIFA. O seu grande detalhe ficava por conta da cor amarela.

1958 - Suécia - Top Star

O modelo Top Star foi escolhido em meio a outros noventa e nove concorrentes. Ela seguia os padrões FIFA de tamanho, peso e contava com dezoito gomos e costura zigue-zague, o que diminui a tensão aplicada pelos chutes.

1962 - Chile - Mr. Crack

As bolas chilenas causaram muita polêmica devido à sua péssima qualidade. Antes da partida inicial entre Chile e Suíça, o árbitro Ken Aston ficou horrorizado com as condições das bolas e solicitou que outras fossem enviadas para o estádio. Ao longo da Copa, diversos outros modelos foram trazidos da Europa para servirem como substitutos da bola que recebeu o apelido de Mr. Crack, devido à sua superfície que descascava.

1966 - Inglaterra - Slazenger Challenge 4-Star

Feita com vinte e quatro gomos, a Challenge 4-Star era produzida em couro e tinha uma qualidade excepcional para a época. Sua superfície tinha uma elegante cor marrom-avermelhada e foi eleita a bola oficial após uma seleção entre diversos fabricantes convidados pela FIFA.

1970 - México - Adidas Telstar

Foi o primeiro modelo desenvolvido por uma fornecedora oficial FIFA, a Adidas. A Telstar era revolucionária em diversos sentidos, utilizando trinta e dois gomos, vinte hexagonais e nove pentagonais. Enquanto que os hexágonos eram brancos, os pentágonos eram pretos. Esta coloração se deve ao fato desta ser a primeira Copa televisionada e os modelos antigos de bolas não ficavam visíveis para as câmeras.

1974 - Alemanha Ocidental - Adidas Telstar Durlast

Possuía um desenho idêntico ao da sua antecessora.

1978 - Argentina - Adidas Tango

Com trinta e dois gomos (doze pentágonos e vinte hexágonos), tinha uma decoração de doze círculos iguais estampados. O projeto desta bola se manteve praticamente o mesmo até a Copa de 1998, na França.

1982 - Espanha - Adidas Tango España

Basicamente igual à sua antecessora, este modelo tinha como diferença seu revestimento em poliuretano e borracha, o que a deixava resistente à infiltração de água. Foi a última bola feita em couro legítimo a ser utilizada nos mundiais.

1986 - México - Adidas Azteca

Foi a primeira bola confeccionada 100% em material sintético. Possuía estampas inspiradas na artes Aztecas, civilização nativa do México.

1990 - Itália - Adidas Etrusco Unico

Praticamente igual à suas antecessoras de 78 e 82, o nome teve inspiração na arte etruscas, com três leões decorando os triângulos típicos do Tango. Possuía uma camada de neoprene, o que a deixava ainda mais leve e eficiente.

1994 - Estados Unidos - Adidas Questra

Basicamente igual à Etrusco Unico, esta bola foi utilizada também ao longo dos Jogos Olímpicos de Atlanta de 1996. Com esta bola, o Brasil conquistou seu 4º mundial.

1998 - França - Adidas Tricolore

Apesar de seu design inspirado nas bolas Tango, este modelo foi o primeiro a utilizar mais do que duas cores. Seu nome Tricolore se deve às cores da bandeira francesa que inspiraram o estilo desta bola.

2002 - Coréia do Sul e Japão - Adidas Fevernova

Com um design totalmente inovador, ela possuía dois triângulos em formato de shuriken em lados opostos da bola. Os triângulos tinham o interior cinza, a borda dourada e detalhes em vermelho.

2006 - Alemanha - Adidas Teamgeist e Teamgeist Berlin

Teamgeist em alemão significa “espírito de equipe”. A bola é composta por quatorze painéis curvos soldados com bordas arredondadas. Tal design faz com que os chutes sejam mais precisos! A Teamgeist Berlin era uma versão dourada utilizada apenas na final do mundial, que foi disputada entre Itália e França.

2010 - África do Sul - Jabulani

Jabulani em zulu quer dizer “festejar”. Formada por oito gomos termossoldados. Ela contava com onze cores, que representavam os onze jogadores de um time e os onze idiomas oficiais do país anfitrião.

Bola da Copa 2014

A bola oficial da Copa do Mundo de 2014 passou por poucas e boas para chegar onde está hoje. Primeiro foi submetida há mais de dois anos de testes, passando pelos pés de mais de 600 jogadores renomados, entre eles Messi e Zidane, e mais de 10 seleções.

As cores e formatos representam as tradicionais fitas do Senhor do Bonfim, muito comuns entre o povo brasileiro e extremamente conhecidas entre os turistas. Além disso, a bola tem uma nova estrutura com simetria de 6 painéis idênticos que foram posicionados ao lado de uma diferente estrutura de superfície. Segundo especialistas, assim ela terá melhor aderência, toque, estabilidade e aerodinâmica. Impressionante não é mesmo?

Depois de todo esse processo, a bola finalmente ficou pronta, mas ainda era hora de dar um nome para ela. As duas outras opções eram Bossa Nova e Carnavalesca, mas depois de uma votação popular a bola mais famosa do Brasil recebeu um nome especial: Brazuca, com 77% dos votos.

E será que você sabe como é a produção da bola da Copa do Mundo de 2014? Confira o vídeo!

Seleção Brasileira

A convocação da seleção brasileira ainda não está totalmente fechada, mas alguns jogadores já estão confirmados. Confira abaixo a lista de profissionais que provavelmente disputarão o mundial:

Goleiros

Júlio Cesar - Toronto FC

Jefferson - Botafogo

Zagueiros

David Luiz - Chelse

Dante - Bayern de Munique

Thiago Silva - Paris St. Germain

Laterais

Daniel Alves - Barcelona

Marcelo - Real Madrid

Rafinha - Bayern de Munique

Meio Campo

Luiz Gustavo - Wolfsburg

Paulinho - Totteham Hotspur

Fernandinho - Manchester City

Meia-atacante/atacante

Ramires - Chelsea

Oscar - Chelsea

Hulk - Zenit St Petesburg

Bernard - Shakhtar Donetsk

William - Chelsea

Neymar - Barcelona

Fred - Fluminense

Jô - Atlético Mineiro

Seleções da Copa

A Copa do Mundo de 2014 será disputada entre 32 seleções divididas em oito grupos (A-H). Todas as oito seleções campeãs estarão presentes no Brasil, disputando rodada a rodada a taça mais cobiçada do mundo.

Grupo A

Brasil

Croácia

México

Camarões

Grupo B

Espanha

Holanda

Chile

Austrália

Grupo C

Colômbia

Grécia

Costa do Marfim

Japão

Grupo D

Uruguai

Costa Rica

Inglaterra

Itália

Grupo E

Suíça

Equador

França

Honduras

Grupo F

Argentina

Bósnia

Irã

Nigéria

Grupo G

Alemanha

Portugal

Gana

Estado Unidos

Grupo H

Bélgica

Argélia

Rússia

Coréia do Sul

As Cidades Sede

As cidades sede da Copa do Mundo de 2014 que acontecerá no Brasil serão Manaus, Fortaleza, Natal, Recife, Salvador, Cuiabá, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre.

Copa do Mundo na Tricae

As Cidades Sede

As cidades sede da Copa do Mundo de 2014 que acontecerá no Brasil serão Manaus, Fortaleza, Natal, Recife, Salvador, Cuiabá, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre.

Videos

Glossário Infantil

As mamães e os papais de hoje precisam ficar sempre bem informados sobre o Universo Infantil. Pensando nisso, a Tricae considera essencial que a nossa comunicação esteja completa e clara, transmitindo segurança na hora de decidir sua compra. Criamos este Glossário com os termos mais comuns a respeito do Universo Infantil e o mesmo será atualizado constantemente. Caso você sinta falta de algum termo ou informação que considere importante para as outras mamães, por favor, envie um e-mail com o termo para atendimento@tricae.com.br. Teremos o maior prazer em publicar a informação e ajudar todas as mamães e papais interessados.
Catálogo de marcas

A Tricae possui a maior seleção de marcas e fornecedores do Brasil. Dedicamos essa página para que você possa encontrar todas as nossas marcas organizadas em ordem alfabética e atualizada com os melhores fornecedores e produtos do mercado. Acesse
Revista Tricae

para facilitar a vida de nossas clientes, com uma seleção especial de informações sobre o universo infantil, criamos a Revista Tricae, um espaço que reúne o que é de melhor para o seu filho, desde roupas, brinquedos e acessórios até informações e dicas sobre tendências de moda. Acesse

Glossário Infantil

Compartilhe