Carregando informações...

  • Tamanho:
    Cor:
    R$
    R$

Cegonha

Como muita gente já sabe, é bem comum contar para as crianças que elas chegaram em casa por conta da entrega de uma cegonha. Essa lenda vem sendo retratada há anos e passada de pais para filhos mas, ainda assim, muitas pessoas não sabem que essa história tem uma base e um fundamento para ter se tornado tão popular. Ela foi contata pela primeira vez pelo povo da Escandinávia e, mais tarde, se tornou extremamente conhecida pelo resto do mundo.

As famílias costumavam contar essa história para as crianças mais novas quando algum outro bebê nascia, como uma forma de justificar o seu aparecimento. Mas porque a mamãe tinha que ficar descansando depois do parto? Para isso também havia uma explicação: ela precisava descansar porque a cegonha havia bicado a sua perna. Era uma maneira fantasiosa de relatar um nascimento que envolvia as crianças e dava muito mais charme para a chegada do bebê.

A escolha do animal não foi por acaso e sim por conta de alguns fatores. Esse animal foi utilizado como protagonista da história por ser muito dócil e protetor, que dedica um pouco mais do seu tempo para as aves doentes ou idosas. Parece até que as cegonhas entendem o que estão fazendo e fazem um trabalho voluntário pelos ares! Uma grande curiosidade sobre esse fato é que na Roma antiga o povo criou uma lei chamada Lex Ciconaria (lei da cegonha) em que as crianças tinham que cuidar dos idosos.

Ainda assim, a justificativa do animal escolhido não para por aí. As cegonhas tem o costume de estruturar o seu ninho ao lado da chaminé de alguma casa e sempre que precisam botar mais ovos ou cuidar dos seus filhotes, voltam para o mesmo lugar. O mix de atitudes solidárias com a fidelidade ao ninho, portanto, criou o símbolo perfeito para ser retratado na literatura infantil. Ainda assim, a grande história só se espalhou por todos os países no século XIX por meio dos livros do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen. Muito curioso não é mesmo?

Topo